Domingo, 23 de Abril de 2006

Sentidos opostos



( Foto de António Ramos)


Sabes ? Hoje pensei muito em nós. Mas não só em nós. Pensei na humanidade em geral, e no que faz girar o mundo. O Amor!

Imaginei os milhares de pessoas, que hoje, também estarão a pensar o mesmo que eu. Para onde ir, o que fazer, como conseguir ser feliz!

A vida passa e não nos damos conta das mudanças. As tuas, as minhas, as de todos.

Continuamos dia após dia, a pensar que está tudo igual. A rotina, sabes? Mas não, não está.

Todos os dias acordamos diferentes. O dia de ontem, jamais se repetirá...mas não sabemos, ou melhor, sabemos mas nem pensamos nisso!

Sei que cresci. Tu também. Mas cheguei à conclusão que crescemos em sentidos opostos.
Estou diferente. Aquelas coisas que há anos atrás me feriam, me incomodavam, ou me faziam rir e sonhar, hoje já não fazem sentido. Quando penso nelas, tenho até a sensação de que não se passaram comigo.

Hoje, voltam a repetir-se. Iguais ? Não! Sabes porquê? Porque embora as situações sejam as mesmas, nós mudámos.

Sem me aperceber, foste deixando de fazer parte dos meus sonhos. Nada do que fazes, me interessa. Quero mais! Quero diferenças. Tu já não preenches os meus requisitos. Sei que não consegues dar-me o que pretendo. Não me compreendes, nem me vês...

Seguiste o teu caminho. Completamente oposto ao meu.
Há que aceitar isto, para que possamos ser felizes...tu, eu, todos nós.

publicado por tia rute às 14:33
link do post | comentar | favorito
9 comentários:
De Undead a 9 de Maio de 2006 às 12:33
Ola mais bela...
Sabes...o que escrevi não é dedicado a ninguem em especial...eu sou assim,um story teller inremediavel...apenas solto as frase que trago dentro do meu alforge mágico,espalho as pelos ventos cosmicos do imaginário...agrada me historias de amores impossiveis...como a paixao do sol pela lua..que se tocam por momentos em espaços longinquos...aprendi que a suprema utilidade das palavras não é servirem para designar coisas,mas fazerem sonhar...eu sou o grande sonhador...o arquitecto da realidade.
Muitos pensam que sou poeta,lirico nas palavras que escolho...mas não,porque poeta é aquele que parece pedir desculpa ás palavras,porque ao usá-las sente que está a fazer com que percam a virgindade...e o acto de escrever poesia transforma-se idealmente na reposiçao cirurgica de uma virgindade perdida.Eu apenas sonho...e agarro esses sonhos...porque neles...querida amiga....sou verdadeiramente...livre.
Um abraço


De margarida_rr a 8 de Maio de 2006 às 10:20
Undead, antes de mais, obrigada pela visita que fizeste aqui, ao meu "jardim". Quando li isto, fique perplexa, confesso! Li e reli tentando perceber o sentido de tudo o que escreveste. Embora não querendo acreditar no que lia, acabei por concluir que o que eu penso que é, é mesmo....não sabia que tinha sido assim. Felizmente que já está guardado no baú das memórias, porque as paixões platónicas, são sempre, e na minha opinião, frustrantes.São o mesmo que ver uma travessa cheia de iguarias,e não lhe poder tocar, quando se está com muita fome...Mas voltando ao que li, agradeço a tua sinceridadee acima de tudo... achei lindo este poema em prosa, que dedicas a alguem que não conheces, nunca viste e nunca tocaste...beijo pra ti!


De Undead a 7 de Maio de 2006 às 22:23
Sabes...hoje tambem pensei em nós.Tambem mas não só...pensei em milhentas coisas que fazem parte de outras milhentas e acabei precisamente a pensar no Amor...mas que raio de palavra tão pequena e que teima em ter tanto significado...pensei no nosso primeiro dia,foi magico...pelo menos para mim...mal os meus olhos encontraram os teus,ahh...o meu coração falou mais alto que a minha voz...disse-te olá sem mexer os lábios...e acariciei os teus cabelos sem te tocar.Foi ha tanto tanto tempo...demos tanto um ao outro,fizemos descobertas maravilhosas juntos,rimos,cantámos,dançámos,amámo-nos e brindámos á eternidade...eramos tão...preciosos um para o outro,eramos o proprio Amor.
Viro a pagina da minha memoria...e de um momento para o outro,já não fazes parte da minha historia...onde foi que ficámos? o que fizemos um ao outro? onde estamos neste momento? que é feito de ti? que é feito de nós?
Undead.


De bapsi a 25 de Abril de 2006 às 11:19
Maria Loura ..tu demoras ..mas quando chegas arrasas..........
Tenho dito.
Sem baton, um jinho


De Bia (min_lx) a 24 de Abril de 2006 às 21:56
Ainda bem que estou a escrever, porque nem consigo falar, neste momento. Sem saberes, porque nem me conheces, claro está, espelhaste a minha alma. Estou contente por ter encontrado o teu espaço. Existem momentos assim em que nos identificamos com alguém, com aquilo que escrevem, nunca pensei é que pudesse ser assim, através de cabos e linhas. Cada vez gosto mais de andar por aqui :) ....... Beijokinhas linda, da Bia


De emmes a 24 de Abril de 2006 às 06:21
A mudança que se dá todos os dias em nós e que muitas vezes nem n´so damos por isso.Que é mais facil de ver nos outros, embora a sintamos cá dentro.Tal como diz o hot é um acto de coragem conseguir meditar e aceitar a mudança, mas acima de tudo, fazermos alguma coisa com ela. O meu ultimo post fala um bocadinho sobre este tema.
Um beijo de uma lucida para outra lucida!


De hotmale.come a 24 de Abril de 2006 às 01:31
"Podia ter sido eu a escrever isto" — disseram-me um dia. Agora que foi escrito, e com a grandiloquência própria de quem usa as palavras como fósforos na combustão da alma, pergunto apenas quanto mais haverá à espera de uma oportunidade para vir passear à rua?

À parte o que se escreve, e se o que se escreve tem impregnado um certo sentido de esperança e felicidade — presente, por exemplo e também, no que eu escrevo —, vai sendo hora de dizermos o que escrevemos; vai sendo hora de fazermos o que escrevemos. Senão, mais dia menos dia acabamos por adormecer no sofá e esquecer o sentido. Além disso, pior que não esperar por nós, o tempo urge.

Escrever assim é um acto de coragem, sem qualquer dúvida. Quero ver essa coragem crescer e ganhar consistência. Tal como quero ver a minha.

Um beijo e uma embalagem de Força.

hotmale.come


De Carla a 23 de Abril de 2006 às 18:47
Amiga querida, darmo-nos conta da evolução, ainda que em sentidos opostos aos de quem amamos, é o primeiro passo para termos consciência daquilo que ainda está por realizar mas que desejamos que nos aconteça. No fundo, estas tuas palavras tão bonitas mostram que não paraste de sonhar. Há quem amadureça a perder os seus sonhos de vista e isso é que é triste. Um beijo enorme e um brinde à tua felicidade :)


De Daniela a 7 de Outubro de 2010 às 01:41
É muito bom encontrarmos por essa vida pessoas que sabem passar adiante boas palavras e inspirações mil...
Adorei seu blog, seus textos e sua paixão pela escrita.
Fica aqui a dica de dar uma espiada no eu blog, quem sabe possamos compartilhar idéias.

Um abraço,
Dani
http://vivendoja.blogspot.com


Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2010

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
14
15

16
17
18
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. Eu

. Desejo...

. Nas asas do vento

. A moment like this

. Eva

. Como num filme...

. Contagem Crescente II

. Ausência

. Em silêncio

. Um novo ciclo

.arquivos

. Maio 2010

. Julho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Fevereiro 2007

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

. Dezembro 2005

. Novembro 2005

. Outubro 2005

. Agosto 2005

. Julho 2005

. Junho 2005

. Maio 2005

. Abril 2005

. Março 2005

. Janeiro 2005

. Dezembro 2004

. Novembro 2004

blogs SAPO

.subscrever feeds